F5 – Celebridades – Quais são as regras e protocolos para casar-se com um príncipe?

0
102


São Paulo

Meghan Markle irá tornar realidade o sonho de grande parte das meninas: o de ser uma princesa. A americana de 36 anos se casa com o príncipe Harry, 33, neste sábado (19), e se tornará parte da realeza britânica.

Contudo, não é tão fácil casar-se com um membro da realeza. Além da dificuldade de se encontrar e conhecer um príncipe -ou princesa, a família real tem uma série de regras a serem seguidas para que o casamento seja aprovado.

E mesmo após passar por todas as aprovações, a princesa deverá seguir diversos protocolos estabelecidos pela realeza.

Conheça as regras e protocolos para ser membro da realeza

CONSENTIMENTO

Primeiramente, é preciso ter o consentimento do monarca, e o casamento pode ser vetado para evitar que o “status da casa real seja diminuído”. No dia 14 de março, a rainha Elizabeth 2ª autorizou que Harry e Meghan se casasse, mas a dupla não estaria subindo ao altar se a atriz americana não tivesse impressionado a avó do príncipe.

Originalmente o casório de qualquer familiar do monarca poderia ser vetado, mas a regra mudou em 2013 e se aplica a apenas as seis pessoas mais próximas do trono: príncipe Charles, William, George, Charlotte, Louis e Harry.

RELIGIÃO

Ao contrário do que alguns pensam, não há regras dizendo que um membro da realeza só pode se casar com alguém de sangue aristocrata, ou apenas com cidadãos britânicos. Mas existe uma barreira que os impede de casarem-se com católicos.

Meghan foi batizada pela máxima autoridade religiosa da igreja da Inglaterra antes de seu casamento com o príncipe Harry. A atriz escolheu ser batizada e confirmada pela Igreja Anglicana por respeito a Elizabeth 2ª, que é a governadora suprema dessa religião, como são todos os monarcas ingleses desde Henrique 7, que decidiu romper com o Vaticano.

O pai de Meghan é episcopaliano -cisão americana do anglicanismo- e sua mãe é de outra religião protestante, mas estudou em uma escola católica.  O pai da noiva, Thomas Markle, disse a um site de celebridades que não comparecerá mais ao evento.

DIVÓRCIO

Enquanto a atriz americana não precisou se preocupar em ter seu casamento negado por ser divorciada –Meghan foi casada com o produtor americano Trevor Engelson entre 2011 e 2013- o tio de Elizabeth 2ª, Edward 8° abdicou do trono em 1936 para casar-se com a americana divorciada Wallis Simpson.

Nos anos 1950, a irmã da rainha, princesa Margaret, terminou seu relacionamento com o divorciado Peter Townsend para manter seu status de realeza. Em 1995, um monarca pediu pela primeira vez para que um casal real se divorciar.

A rainha Elizabeth 2ª escreveu cartas solicitando que seu filho, príncipe Charles, e Diana se divorciarem. A separação foi concluída em 1996, mas Diana permaneceu como membro da família real até sua morte, no ano seguinte. 

 

Após divorciar-se da mãe de William e Harry, Charles pediu que sua mãe aprovasse o casamento com Camilla, sua amante. O casamento foi aprovado apenas em 2005, mas ele pôde apenas casar-se em uma cerimônia civil, e seus pais não foram ao evento.

CARREIRA

Após o casamento, Meghan não poderá mais trabalhar por dinheiro, devendo dedicar-se completamente aos seus deveres reais. A americana já deixou o trabalho como atriz na série “Suits”, fechou seu site de comportamento, “The Tig”, e finalizou seu contrato para criar coleções de roupas com a marca Reitmans.

Meghan ganhou seu cargo oficial em fevereiro. Ela foi anunciada como a quarta benfeitora da Royal Foundation, ao lado de Harry, William e Kate Middleton. De acordo com a BBC, instituições de caridade usam benfeitores reais para garantir a visibilidade das causas da organização.

APARÊNCIA

Uma “fashionista” declarada, Meghan terá que mudar algumas coisas em seu visual após tornar-se um membro da realeza britânica. A americana não poderá mais utilizar esmaltes coloridos. Em vez disso, ela precisará deixar as unhas sempre em tons rosa claro e nude. Apenas unhas aparentemente naturais são permitidas em eventos reais desde 1989.

Mostrar o decote também é proibido para as mulheres da família real. Não é permitido abaixar-se ou sair do carro sem utilizar algum objeto para tapar a área dos seios para que nada apareça.

A princesa Diana utilizava bolsas de mão para esconder a parte de cima dos seus vestidos toda vez que precisava se abaixar. As bolsas eram tão pequenas que nenhum item caberia nelas, e Diana as usava apenas com o propósito de esconder os seios dos paparazzi de plantão.

Além de saber curvar-se -colocando uma perna atrás da outra, dobrando os joelhos, e inclinando a cabeça levemente-, as mulheres da família real devem saber sentar apropriadamente. Elas nunca podem sentar-se com as pernas cruzadas, como as demais mulheres fazem.

Para serem diferenciadas da maioria, as mulheres da realeza precisam sentar com pernas e joelhos juntos, cruzando-as na altura dos tornozelos no máximo.