Comando militar dos EUA na Coreia diz não ter recebido nova orientação – 12/06/2018 – Mundo

0
88


Horas após o presidente Donald Trump anunciar o fim de exercícios militares dos EUA na península Coreana em um histórico encontro com o ditador norte-coreano, Kim Jong-un, o comando americano na Coreia do Sul afirmou que não recebeu nenhuma orientação nesse sentido.

“As Forças dos Estados Unidos na Coreia não receberam nenhuma atualização de orientação para execução ou fim de exercícios de treinamento, que incluem o cronograma do Ulchi Freedom Guardian para este outono”, disse nesta terça-feira (12) a tenente-coronel Jennifer Lovett.

“Em coordenação com nossos parceiros da Coreia do Sul, vamos continuar com nossa posição militar até que recebamos novas orientações do Departamento de Defesa ou do Comando do Indo Pacífico.

A redução ou mesmo o fim desses exercícios militares já era vista por analistas como uma das possíveis ofertas que Trump poderia fazer a Kim Jong-un, mas ela veio sem nenhuma nova concessão da parte do líder norte-coreano.

Em abril, já durante as negociações para esse encontro em Singapura e em meio ao diálogo estabelecido com Pyongyang, Seul e Washington realizaram um exercício militar envolvendo tropas terrestres, aéreas, navais e de operações especiais.

O exercício estava previsto para março, mas havia sido adiado por causa dos Jogos Paraolímpicos de Inverno de PyeongChang, que, juntamente com a Olimpíada de Inverno foram o estopim da reaproximação entre as Coreias.

Um porta-voz do Pentágono disse à época que os dois exercícios conjuntos envolveriam cerca de 23.700 soldados dos EUA e 300 mil militares sul-coreanos.

O regime norte-coreano sempre condenou esses exercícios, vistos como ameaça à soberania de Pyongyang.

Em dezembro do ano passado, EUA e Coreia do Sul organizaram um exercício militar uma semana depois que a Coreia do Norte testou um míssil intercontinental.