Com legalização em alta, imprensa se volta para a maconha – Novo em Folha

0
17


A legalização do cultivo e do consumo da maconha no Canadá e em alguns estados americanos abriu uma nova fronteira de interesse para a imprensa. Sites especializados cobrem as implicações legais e econômicas do comércio legal da maconha, além de publicar reportagens voltadas para o usuário.

Nos Estados Unidos, há plataformas independentes (como o Cannabis Wire), de vídeos (Now This Weed) e voltadas para a cultura canábica (o Civilized almeja ser “a Vanity Fair da maconha”).
A imprensa tradicional também começa a abrir espaço para iniciativas semelhantes. O The Cannabist, criado em 2013 pelo Denver Post, é uma das iniciativas mais antigas neste sentido.

Neste mês, o jornal Boston Globe lançou uma seção em seu site dedicada a cobrir o setor. Segundo descrição da seção Marijuana, o Boston Globe busca “impulsionar e enriquecer a conversa pública sobre a maconha (…) empregando um jornalismo de alto padrão, que irá responsabilizar a indústria e o governo”.

O foco é cobrir o impacto da maconha nos estados do nordeste dos Estados Unidos. O perfil no Twitter @MarijuanaNews divulga as reportagens publicadas na seção.

Com a recente legalização no Canadá, o The Leaf, do jornal Winnipeg Free Press, foi o primeiro diário a destinar um espaço para cobertura da maconha.

O jornal The Globe and Mail passou a oferecer uma newsletter, ao custo de US$ 1.000 (cerca de R$ 3.800) ao ano, voltada para o “profissional da cannabis”.

A promessa é cobrir as decisões políticas relativas à maconha, os players da indústria, as operações de negócios, preços, inovação e logística, entre outros temas.

A maioria das iniciativas conta com poucos anúncios. Alguns sites veiculam publicidade via Google. Em outros, há divulgação de eventos e produtos ligados à cannabis.